SENHOR, QUANTAS VEZES DEVO PERDOAR A MEU IRMÃO?

Pr. Adriano Silva Santana


Esta dúvida de Pedro surge no seguimento do que Jesus tinha dito antes, conforme o evangelista Mateus o escreveu. Ele fala na ovelha reencontrada. Fala também na necessidade de os irmãos se reconciliarem.

Pedro ouvindo isso, ficando na dúvida faz aquela pergunta ao seu Mestre: "Senhor, quantas vezes devo perdoar a meu irmão, se ele continuar a ofender-me? Até sete vezes?"

Reparemos na dúvida de Pedro. Ela é legítima, faz sentido. Devemos perdoar sete vezes, devemos dar sete oportunidades ao nosso irmão. É que sete parecem ser vezes mais do que suficientes para perdoar.

Sete são os dias que Deus demorou a criar a Terra, sete são as igrejas a quem o autor do apocalipse escreve. O número sete é um número divino, um número perfeito e que aparece na bíblia mais de 300 vezes. Sete são as mortes que sofrerão entre os seus, quem matar Caim, conforme lemos no livro do génesis. Ou noutras traduções: sete as vezes que serão castigados os que matarem Caim. "Perdoar sete vezes é um acto de bondade, de conformidade com Deus, pois, apesar da maldade terrível que Caim praticou, matando o seu irmão, Deus protege-o daquela maneira. Perdoar sete vezes, talvez seja um acto de obediência a Deus, de fé, de justiça ou não?" Parece Pedro perguntar.

"Devemos perdoar tantas vezes quantas as de Deus? Sete? É porque sete vezes, a mesma pessoa, ainda que seja meu irmão, a fazer-me mal já chega! Se sete é o número perfeito, o número divino, o número de dias que Deus escolheu para criar o mundo, o número para perdoar Caim e o proteger, talvez, seja o número bastante para a paciência de Deus, quanto mais para qualquer um!"

Mas a resposta de Jesus é: "Não! Não até sete, mas até setenta vezes sete."

Nenhum Comentario